Post Page Advertisement [Top]

CURSO BÁSICO DE CONCEITOS INICIAIS E TIPOS DE GRÁFICOS

O objetivo deste curso básico é apresentar a quem inicia no mercado
financeiro, os principais conceitos da ANÁLISE TÉCNICA. O estudo da análise
técnica é muito extenso, aqui são apresentados alguns dos principais e mais
relevantes pontos, no entanto, acreditamos que seja suficiente para um bom
aprendizado e ótimos resultados.
A análise técnica ou análise gráfica, é um método de análise em que as
informações do mercado, incluindo gráficos de preço e volume são quanti-
tativamente estudados para ajudar a predizer o movimento do mercado.
Estudaremos inicialmente os Candlesticks, voltando-nos aos aspectos práticos,
e deixando, neste momento, de lado os detalhes históricos, os quais serão
estudados mais adiante.
Apesar de básico, podemos afirmar que este curso irá preencher uma lacuna
de conhecimento, e por si só será suficiente para que o aprendiz inicie sua
inserção nos mercados de FOREX, BOLSA DE VALORES, OPÇÕES
BINÁRIAS, e outros mercados que se utilizam da ANÁLISE TÉCNICA como
ferramenta.

Análise técnica, de uma maneira simples, é uma abordagem que permite ao
seu praticante avaliar qual o melhor momento (timing) para se iniciar e encerrar
uma operação de compra ou de venda de
um ativo financeiro ou quando deve ficar fora do mercado. Para tanto, utiliza
gráficos e teorias formuladas sobre sua dinâmica e, mais recentemente,
estudos matemáticos -estatísticos complementares que conhecerão ao longo
deste e de outros cursos que aqui serão ministrados.
As primeiras teorias e métodos operacionais surgiram no início do século XXI.
Pesquisando, encontramos que, em 1901, durante a fusão da U.S.Steel, um
dos seus diretores James R. Keene utilizava a técnica dos gráficos Ponto-
Figura intensamente. Posteriormente, alguns “scalpers” (operadores de pregão)
passaram a utilizá-la nas suas operações day-trade (intra diário) e a prática do
mercado acabou convertendo-a numa teoria de uso comum, não se sabendo
ao certo quem foi o seu criador.
Na mesma época, Charles H. Dow, proprietário de um serviço de informações
voltado para o mercado financeiro – Dow-Jones Financial News – e a quem é
creditada a invenção dos índices no
mercado de ações, em artigos escritos para o Wall Street Journal definiu os
conceitos básicos do viria a se tornar uma teoria. Após sua morte em 1902, seu
sucessor na editoria do jornal, William P.
Hamilton, continuou escrevendo nos 27 anos seguintes novos editoriais e
dando forma àquilo que hoje é mundialmente conhecido como “A Teoria de
Dow”, em nossa opinião, a essência da análise


técnica e por onde começaremos. Mas, antes, será preciso que conheçamos
algumas noções básicas para melhor entendimento de suas regras e conceitos.
A ANÁLISE TÉCNICA se utiliza de figuras variadas para representação dos
preços. É com estas figuras, que se formam os gráficos.
Iremos, neste estudo, esclarecer alguns conceitos em torno dos gráficos e suas
aplicabilidades.
Um gráfico de cotações é uma sequência de pontos definidos numa dada
janela de amostragem usando para isso uma dada base de tempo (timeframe).
Cada gráfico tem dois eixos. No eixo X vem a escala do tempo e no eixo Y
temos os valores das cotações.

A base de tempo (timeframe) utilizada pode variar de gráfico para gráfico
dependendo da estratégia do analista. Pode ser utilizada uma base de tempo
intraday, diária, semanal, mensal, trimestral ou anual. Quanto menor for a base
de tempo, menor compressão terá a visualização do gráfico.
Uma base de tempo diária utiliza para desenhar o gráfico um ponto por cada
dia de sessão em Bolsa enquanto que uma base de tempo semanal utiliza um
ponto para cada 7 dias. Por exemplo, se num gráfico diário visualizarmos 100
pontos de informação, num gráfico semanal com o mesmo número de pontos
iremos visualizar 5 meses (um ano corresponderá, grosso modo, a 252 pontos)
de cotações. Geralmente os analistas utilizam gráficos intraday (visualização
da variação das cotações ao longo da sessão de bolsa) ou gráficos diários com
o intuito de analisar a evolução de curto-prazo das cotações. Se quiserem
analisar as tendências de médio/longo prazo de uma empresa deverão utilizar
gráficos mensais ou anuais.

BASICAMENTE HÁ TRÊS TIPOS DIFERENTES DE GRÁFICOS UTILIZADOS
NA ANÁLISE TÉCNICA:

  • 01-GRÁFICO DE LINHAS

  • 02- GRÁFICO DE BARRAS

  • 03- GRÁFICO DE CANDLESTICKS


1. GRÁFICO DE LINHAS

O gráfico de linha é o gráfico mais simplista. Desenha-se unindo por uma linha,
cada ponto consecutivo desenhado no gráfico y-x. A coordenada no eixo Y
será a cotação de fechamento e a coordenada no eixo X será a data do pregão
em que ocorreu a cotação. A grande vantagem destes gráficos é que a sua
análise é bastante intuitiva.